25 Julho, 2016      15:07 GMT +1 Luanda
Angola News


Emirates assumem gestão da Taag de Angola

Enviar por E-mail Versão para impressão

Os quatro administradores executivos designados pela companhia aérea Emirates para integrarem o conselho de administração da transportadora Linhas Aéreas de Angola (Taag) chegaram domingo a Luanda, noticiou a Rádio Nacional de Angola (RNA).

O presidente do Conselho de Administração da Taag, Joaquim Cunha, disse à estação emissora que os novos administradores executivos devem tomar posse em breve, ao abrigo do acordo assinado no Dubai em 2014 entre o governo de Angola e a Emirates.

Nos termos do acordo, a Emirates passará a nomear o presidente do Conselho de Administração da Taag e mais três administradores executivos, de um total de nove membros, mas a gestão corrente será assegurada por uma Comissão Executiva composta pelos administradores executivos nomeados pela Emirates para as áreas comercial, operacional, financeira e administrativa.

Nas declarações à RNA, Joaquim Cunha afastou a possibilidade de despedimentos com a entrada em funções da nova direcção da companhia de bandeira nacional, embora tenha reconhecido que a empresa tem, “de facto”, um número elevado de trabalhadores. (Macauhub/AO)

 

China principal comprador de rochas ornamentais de Angola em Julho

Enviar por E-mail Versão para impressão

20150915A China foi o principal comprador de rochas ornamentais de Angola em Julho passado, de acordo com um boletim informativo do Ministério da Geologia e Minas divulgado em Luanda.

O boletim, citado pela agência noticiosa Angop, informa ainda que em Julho as empresas angolanas exportaram 3502 metros cúbicos de rochas ornamentais, contra 177 metros cúbicos um mês antes, aumento que se ficou a dever à acumulação de exportações das empresas Angostone e DGF África.

Comparativamente ao mês homólogo de 2014, em que foram exportados 2222 metros cúbicos, registou-se um aumento de 57,5%.

Ainda em Julho, a produção de rochas ornamentais, nomeadamente mármores e granitos, atingiu 2027 metros cúbicos, um aumento mensal de 381 metros cúbicos.

O boletim informou igualmente ter-se registado uma contracção abrupta da produção, de 49,5%, comparativamente à registada em Julho de 2014, mês em que foram extraídos 4020 metros cúbicos.

Esta quebra ficou a dever-se, de acordo com o boletim, à baixa procura nos mercados interno e externo e cita o caso da empresa Coreangol que, dispondo actualmente de grande quantidade de rochas em armazém, não precisa de extrair mais.

O valor das vendas em Julho ascendeu a 1,05 milhões de dólares, que contrasta com os 40 mil dólares registados um mês antes e com 952 mil dólares no mês homólogo de 2014. (Macauhub/AO/CN)

 

Moeda de Angola em desvalorização acelerada face ao dólar

Enviar por E-mail Versão para impressão

A taxa de câmbio média dos dólares vendidos pelo Banco Nacional de Angola na semana de 7 a 11 de Setembro atingiu 135,374 kwanzas por dólar, que compara com 130,442 kwanzas por dólar na primeira semana do mês, informou o banco central.

Em comunicado divulgado em Luanda, o Banco Nacional de Angola informou ainda ter vendido no decurso dessa semana 467,3 milhões de dólares.

No dia 10 de Setembro o banco central efectuou um novo leilão de venda de divisas às casas de câmbio, tendo vendido 10 milhões de dólares, a uma taxa de câmbio média de 168,028 kwanzas por dólar, com taxas máxima e mínima de 170 e 160 kwanzas, respectivamente.

No anterior leilão de venda de divisas às casas de câmbio foi obtida uma taxa de câmbio média de 149,870 kwanzas por dólar, com taxas máxima de 155 kwanzas por dólar e mínima de 148,50 kwanzas por dólar.

A agência financeira Reuters escreveu que a taxa de câmbio do dólar no mercado paralelo em Angola situa-se actualmente em 240 kwanzas. (Macauhub/AO)

 

Angola coloca 197 milhões de dólares em dívida pública na 2ª semana de Setembro

Enviar por E-mail Versão para impressão

O Banco Nacional de Angola colocou dívida pública no montante de 26,9 mil milhões de kwanzas (197 milhões de dólares) na semana de 7 a 11 de Setembro, informou o banco central em comunicado divulgado segunda-feira em Luanda.

Do montante colocado no mercado primário 16,6 mil milhões de kwanzas eram representados por Bilhetes do Tesouro e 10,3 milhões de kwanzas por Obrigações do Tesouro.

As Obrigações do Tesouro foram emitidas nas maturidades de 2 e 5 anos, com taxas de juro de 7,00% e 7,77%, respectivamente, tendo as taxas de juro médias apuradas para os Bilhetes do Tesouro sido de 7,00%, 7,83%, 9,00% e 9,45% para as maturidades de 63, 91, 182 e 364 dias.

O banco central angolano colocou ainda 329,3 milhões de kwanzas em dívida pública no segmento de venda directa de títulos ao público.

Em termos globais, o Banco Nacional de Angola colocou no mercado primário mais de 27,2 mil milhões de kwanzas (202 milhões de dólares) em dívida pública, um aumento de 186% face à primeira semana de Setembro.

O governo angolano prevê contrair este ano dívida pública a rondar 20 mil milhões de dólares, a fim de preencher o buraco causado pela quebra das receitas fiscais decorrente da redução dos preços do barril de petróleo, o principal produto de exportação do país. (Macauhub/AO)

 

Construtora China Hyway entrega linha de caminho-de-ferro de Moçâmedes, em Angola

Enviar por E-mail Versão para impressão

20150914O projecto de reconstrução do caminho-de-ferro de Moçâmedes, desenvolvido desde 2006 pelo grupo China Hyway, foi concluído e entregue sexta-feira, de forma provisória, ao governo de Angola, informou a agência noticiosa Angop.

Ao longo de quase 10 anos foram construídas 56 estações num percurso de mais de 800 quilómetros, desde Namibe até Cuando Cubango, com passagem pela província da Huíla, sendo três especiais, Saco Mar (Namibe), Lubango (Huíla) e Menongue (Cuando Cubango) e outras sete de primeira classe

Foram ainda erguidas 11 estações de segunda e 35 estações de terceira, um projecto que incluiu a substituição de toda a linha férrea e reparação de ramais da Jamba e Tchamutete, além de outras obras auxiliares.

Na cerimónia de entrega, o director-geral da China Hyway, Wei Ruihai, salientou que esta linha de caminho-de-ferro irá promover o desenvolvimento dos transportes, trânsito e logística do corredor do Namibe e Menongue, facilitando a agricultura e a indústria ao longo da linha e o crescimento da economia.

O acto formal de entrega provisória do projecto teve lugar no município da Matala, província da Huíla, tendo o presidente da Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Quipaxe, afirmado que a cerimónia marca o relançamento da actividade de transporte ferroviário na região. (Macauhub/AO)

 


Pág. 98 de 730
mm33


beyond_words
beyond_words