30 Abril, 2016      15:59 GMT +1 Luanda
Angola News


Angola gasta milhões de dólares na produção de contadores de electricidade

Enviar por E-mail Versão para impressão

O governo de Angola vai gastar 432 milhões de dólares para instalar até 2017 mais de 1 milhão de contadores de electricidade, anunciou terça-feira, em Luanda, o ministro da Energia e Águas.

O ministro João Baptista Borges, que falava no final da primeira reunião ordinária do Conselho Nacional de Concertação Social, disse que a soma incorpora já a construção, dentro de seis meses, de uma unidade fabril que vai passar a produzir no país os contadores de energia eléctrica.

Baptista Borges, citado pela agência noticiosa Angop, informou ainda que até à data foram instalados em 12 das 18 províncias de Angola cerca de 170 mil contadores.

Este projecto visa substituir na maior parte os contadores pós-pagos por pré-pagos, tendo o ministro argumentado que estes últimos apresentam vantagens, tais como as de não permitir a acumulação de dívidas, uma vez que o consumidor pagará apenas aquilo que possa consumir.

“O cliente faz a gestão do seu consumo e não acumula dívida e as empresas passam a ter receitas para assegurar a manutenção e operacionalização dos sistemas”, salientou. (Macauhub/AO)

 

Bens produzidos em Angola vão exigir aposição de código de barras

Enviar por E-mail Versão para impressão

As empresas produtoras de Angola vão ter de introduzir códigos de barra a fim de permitir que as entidades reguladoras do comércio possam verificar a qualidade e autenticidade dos produtos, disse, em Luanda, um administrador da Administração Geral Tributária (AGT).

O membro do Conselho de Administração da AGT Hermenegildo Gaspar falava num seminário sobre sistemas digitais de verificação tributária e rastreio de mercadorias e referiu que a Administração Geral Tributária procura soluções para inibir a fuga ao fisco, desburocratizar os processos de arrecadação de receitas e melhorar o serviço prestado ao contribuinte.

“A prevenção do comércio informal de produtos locais e importados, o acompanhamento em tempo real das mercadorias a partir da origem, a garantia da qualidade e integridade dos produtos e o apuramento automático dos impostos são ferramentas tecnológicas eficazes”, disse ainda Hermenegildo Gaspar, citado pelo Jornal de Angola.

Aquele administrador disse ainda que na conjuntura actual deve-se pensar em soluções que ofereçam celeridade, pois, admitiu, as novas tecnologias desempenham um papel fulcral, já que é urgente deter capacidade de resposta rápida e produtiva na consulta do histórico de informações dos contribuintes.

A modernização dos serviços da Administração Geral Tributária passa pelo investimento em tecnologias de informação, salientou Hermenegildo Gaspar.

A Administração Geral Tributária (AGT) resultou da fusão entre a Direcção Nacional de Impostos (DNI), Serviço Nacional das Alfândegas (SNA) e o Projecto Executivo para a Reforma Tributária (PERT). (Macauhub/AO)

 

Receitas de Angola com queda de 85% em Maio

Enviar por E-mail Versão para impressão

As receitas totais de Angola, de capital e correntes, rondaram em Maio passado 60 mil milhões de kwanzas (485 milhões de dólares), valor que representa uma quebra homóloga de 85%, revela o relatório de execução orçamental do Ministério das Finanças.

Em Maio de 2014,  antes da queda do preço internacional do barril de petróleo, as receitas totais de Angola ultrapassaram 400 mil milhões de kwanzas (3,2 mil milhões de dólares).

“Esta variação negativa foi resultado de uma diminuição nas receitas correntes e nas receitas de capital de 77% e de 97%, respectivamente”, lê-se no documento, consultado pela Macauhub.

O mesmo documento de execução orçamental também reflecte um corte de 66% na despesa pública angolana no mês de Maio, face a 2014, cifrando-se em 200 mil milhões de kwanzas (1,6 mil milhões de dólares).

Face a estes valores e apenas no mês de Maio a execução orçamental de Angola apresentou um défice de pelo menos 140 mil milhões de kwanzas (1,1 mil milhões de dólares). (Macauhub/AO)

 

Grupo italiano ENI anuncia investimentos em Angola

Enviar por E-mail Versão para impressão

20150708O grupo italiano ENI vai investir 4,5 mil milhões de dólares nos próximos dois anos na exploração petrolífera em Angola, disse terça-feira em Roma o presidente executivo do grupo, no decurso de um encontro com o Presidente angolano.

“Vamos investir para desenvolver o bloco 15-06 nos próximos dois anos”, disse Claudio Descalzi, citado pela agência noticiosa italiana AGI (Agenzia Giornalistica Italia), para acrescentar que o grupo atingirá 100 mil barris por dia no final de 2015, “quantidade que duplicará nos próximos três anos e meio a quatro anos.”

Descalzi adiantou ter falado com José Eduardo dos Santos “sobre o gás que encontrámos em Angola” e adiantou ter apresentado uma proposta de exploração com o objectivo não de o exportar mas sim de o comercializar junto da indústria angolana.”

Também em discussão estiveram outros assuntos, particularmente na área da energia, tendo sido debatido o desenvolvimento das energias renováveis, especialmente a produção de energia solar em áreas mais remotas de Angola, tendo sido igualmente abordada a possibilidade de construir linhas de transporte, tanto na zona costeira como no interior.

A visita de José Eduardo dos Santos a Itália aconteceu um ano depois do primeiro-ministro italiano Matteo Renzi ter visitado Angola a fim de reforçar os laços económicos bilaterais, tendo um encontro entre os dois tido lugar na segunda-feira. (Macauhub/AO)

 

Angola e Itália assinam acordos de cooperação

Enviar por E-mail Versão para impressão

Os governos de Angola e de Itália assinaram três instrumentos de cooperação bilateral, com destaque para o desenvolvimento da agricultura, durante a visita do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, a Roma, que terminou terça-feira.

Em causa estão dois memorandos de entendimento sobre cooperação económica e financeira e um terceiro instrumento jurídico sobre consultas políticas entre as diplomacias dos dois países, este envolvendo directamente os ministérios dos Negócios Estrangeiros italiano e o das Relações Exteriores angolano.

A cooperação económica e o apoio às exportações italianas para Angola, nomeadamente sobre a negociação de seguros e garantia de riscos destas vendas através da Sociedade de Seguro ao Crédito Externo de Itália, integram os dois memorandos de entendimento económico e financeiro, informou o governo de Angola.

“Vamos aproveitar a experiência e o conhecimento científico de Itália, a capacidade de realização dos seus empresários, para desenvolver a nossa agricultura, relançar a indústria alimentar e diversificar a economia”, disse à imprensa angolana o ministro da Agricultura, Afonso Pedro Canga.

A visita oficial de José Eduardo dos Santos a Itália terminou terça-feira, depois de reuniões com empresários italianos, depois de na segunda-feira o chefe de Estado angolano se ter reunido com o Presidente italiano, Sergio Mattarella, e com o primeiro-ministro, Matteo Renzi.

Dados do Instituto Nacional de Estatística de Angola indicam que a Itália foi o 11º destino das exportações de Angola em 2014, no valor total de 131 736 milhões de kwanzas (1066 milhões de dólares), equivalente a uma quota de 2,29% do total.

Nas importações, Itália foi o 15º país nas compras de Angola ao exterior, com uma quota de 1,74% do total e um montante de 49 137 milhões de kwanzas (397 milhões de dólares). (Macauhub/AO)

 


Pág. 98 de 704
pub-angola-p.jpg
mm33