05 Março, 2015      15:29 GMT +1 Luanda 31°C
Angola News


Indústria têxtil em Angola recomeça a funcionar este ano

Enviar por E-mail Versão para impressão

20140704As obras de modernização e ampliação da empresa África Têxtil (Benguela) deverão terminar ainda este ano estando já concluídas as relativas à Textang II, em Luanda, afirmou quarta-feira o secretário de Estado da Indústria, Kiala Ngone Gabriel.

Em declarações à agência noticiosa Angop a propósito do indústria têxtil em Angola, o secretário de Estado disse ainda as obras na África Têxtil, quando concluídas, vão fazer com que a fábrica seja o dobro do que era anteriormente.

A Satec, localizada na cidade do Dondo, província do Cuanza Norte, regista igualmente progressos na renovação das suas infra-estruturas físicas e equipamento, tudo indicando que em 2015 fiquem concluídas as obras, enquanto a Textang II aguarda apenas pela reinauguração.

Kiala Gabriel adiantou que a recuperação de todas estas unidades industriais está orçada em cerca de dois mil milhões de dólares, a serem suportados na totalidade pelo Estado angolano.

Relativamente à matéria-prima, o secretário de Estado recordou ter o Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural anunciado recentemente o relançamento da produção de algodão no país, de acordo com a intenção já manifestada por empreendedores económicos e industriais.

“Até começar a haver produção nacional, as fábricas têxteis terão de trabalhar com matéria-prima importada”, disse Kiala Gabriel, que salientou irem ser criados mais de 3 mil postos de trabalho com a entrada em funcionamento destas unidades industriais. (macauhub/AO)

 

Angola disponível para apoiar exploração petrolífera em São Tomé e Príncipe

Enviar por E-mail Versão para impressão

Angola está inteiramente disponível para apoiar São Tomé e Príncipe na exploração petrolífera na sua zona económica exclusiva, disse em São Tomé o presidente da Assembleia Nacional de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

O presidente do parlamento angolano, que discursava no parlamento são-tomense, disse que “Angola recebeu com grande satisfação a notícia da descoberta de jazidas de petróleo nas águas territoriais de São Tomé e Príncipe.”

A descoberta das novas jazidas complementa os “esforços” do governo são-tomense no desenvolvimento dos sectores da agricultura da pesca e do turismo e “nesse sentido, Angola coloca-se inteiramente à disposição para partilhar os seus conhecimentos e com o mesmo empenho ajudar São Tomé e Príncipe”, destacou, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

Fernando Piedade Dias dos Santos fez um balanço dos 10 anos desde a celebração do acordo de cooperação entre as duas instituições e concluiu que “a dinâmica política, social, económica ocorrida desde essa altura trouxe novas experiências, impôs a necessidade da renovação desta relação, visando o seu enriquecimento.”

O presidente do parlamento angolano, que dirige actualmente a Assembleia Parlamentar da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), considerou ainda que os dois países partilham os mesmos desafios, tendo em vista o papel dos parlamentos de todo o mundo na resolução de conflitos, preservação da paz e fortalecimento da democracia.

No âmbito desta visita, os dois parlamentos assinaram quinta-feira na capital são-tomense um novo protocolo de cooperação parlamentar, que marca uma nova era no seu relacionamento. (macauhub/AO/ST)

 

Dívida pública de Angola excedia 33 mil milhões de dólares no final de 2012

Enviar por E-mail Versão para impressão

A dívida líquida total do Estado angolano ascendia, no final de 2012, a 33 314 milhões de dólares, o que equivale a mais de 29% do Produto Interno Bruto (PIB), informou em Luanda o ministro das Finanças de Angola, Armando Manuel.

O dado foi divulgado pelo ministro durante a apresentação, na Assembleia Nacional, do relatório da Conta Geral do Estado referente ao exercício de 2012.

De acordo com informação publicada na página electrónica do Ministério das Finanças a dívida pública no final de 2012 “equivalia a 29,15% do PIB e representava um aumento anual de 5,6%, reflectindo o esforço no domínio da mobilização de recursos para o financiamento do programa de investimentos públicos.”

Durante a apresentação do balaço patrimonial ao parlamento angolano, na segunda-feira, o ministro disse ainda que “o saldo apurado na conta do património líquido” cifrou-se em 4528 mil milhões de kwanzas (cerca de 46,3 mil milhões de dólares).

Aos deputados, o ministro das Finanças disse também que as recomendações emitidas pelo Tribunal de Contas sobre as contas do Estado de 2011 e 2012 “estão a receber o devido tratamento no âmbito da preparação da Conta Geral do Estado para o exercício de 2013.” (macauhub/AO)

 

União Europeia apoia projectos em Angola nos próximos sete anos

Enviar por E-mail Versão para impressão

A União Europeia vai apoiar com cerca de 210 milhões de euros projectos de desenvolvimento em Angola, ao longo dos próximos sete anos, de acordo com informação divulgada pela delegação europeia em Luanda.

Estas verbas inserem-se na nova programação de fundos comunitários, que vai vigorar até 2020, e abrangem essencialmente três grandes áreas de intervenção para projectos em Angola, indicou a fonte contactada pela agência noticiosa Lusa.

Cerca de metade deste apoio financeiro europeu destina-se a projectos de desenvolvimento rural e agricultura sustentável, a realizar no país ao longo dos próximos sete anos.

Seguem-se projectos de águas e saneamento, área com uma dotação prevista a rondar 65 milhões de euros, bem como na formação profissional e ensino superior.

O valor previsto para este 11.º programa de apoio comunitário, que deverá ser assinado entre a Comissão Europeia e o governo de Angola até final do ano, é praticamente idêntico ao quadro agora em fase final de execução, numa altura de sobreposição e transição entre programas de apoio.

No último Programa Indicativo Nacional, para aprovação de projectos entre 2008 e 2013, a União Europeia atribuiu a Angola uma dotação de 214 milhões de euros, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED). (macauhub/AO)

 

Linhas Aéreas de Angola investem para responder à procura em Portugal

Enviar por E-mail Versão para impressão

A companhia Linhas Aéreas de Angola (Taag) vai abrir uma nova loja no centro da cidade do Porto, Portugal, para corresponder ao aumento da procura dos serviços no norte daquele país, anunciou a companhia.

Com abertura ao público prevista para Setembro, as novas instalações representam um investimento – incluindo aquisição, obras, mobiliário e equipamento – na ordem dos dois milhões de euros.

A Taag tem dois destinos em Portugal e realiza de Luanda sete frequências semanais para Lisboa e duas para o Porto, de que tem o exclusivo, com três aviões Boeing 777-300 ER, o último dos quais recebido em Luanda na semana passada.

A sua congénere, a TAP – Air Portugal, efectua dez voos semanais entre Luanda e Lisboa com aviões Airbus. (macauhub/AO/PT)

 


Pág. 98 de 563
pub-angola-p.jpg
MM26
MM9