02 Julho, 2016      06:34 GMT +1 Luanda
Angola News


Grupo petrolífero Cobalt vende participações em Angola

Enviar por E-mail Versão para impressão

O grupo petrolífero norte-americano Cobalt vendeu à estatal Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) as participações de 40% que detinha em dois blocos em Angola por 1,75 mil milhões de dólares, anunciou o grupo em comunicado.

No comunicado divulgado segunda-feira em Houston, o grupo Cobalt International Energy Inc adianta ter ficado em Angola apenas com uma participação no bloco 9.

“O acordo de compra e venda assegura uma transição suave para um novo operador e sublinha o empenho das partes em conseguir uma decisão final de investimento para o desenvolvimento do bloco Cameia 21/09 até ao final deste ano para conseguir iniciar a produção no final de 2018″, lê-se no comunicado colocado na página da petrolífera norte-americana.

Apesar de a Cobalt ficar como operador durante os próximos tempos, “todos os custos daqui para a frente serão suportados pela Sonangol”, acrescenta a empresa no comunicado, que lembra que o acordo está sujeito a aprovação das autoridades de regulação angolanas, o que deverá acontecer até ao final do ano.

A Cobalt opera em Angola, o segundo maior produtor de petróleo em África a sul do Saara, apostando nas semelhanças entre a costa do Brasil e a de Angola para potenciar a sua actividade.

Numa apresentação a analistas efectuada há algumas semanas, um responsável informou pretender o grupo concentrar as suas actividades de exploração de petróleo no Golfo do México, de acordo com a agência financeira Bloomberg. (Macauhub/AO)

 

Banco Sol de Angola lança linha de crédito para PME

Enviar por E-mail Versão para impressão

20150824

O angolano Banco Sol lançou uma nova linha de crédito de cinco mil milhões de kwanzas (40 milhões de dólares) para apoiar as micro, pequenas e médias empresas com projectos de investimento imediato, informou sexta-feira em Luanda a administradora executiva da instituição.

Carla Van-Dúnem anunciou que a nova linha de crédito, denominada “Sol empreendedorismo 2015”, foi criada com o objectivo de aproximar os serviços bancários da comunidade e reduzir a burocracia de acesso aos empréstimos, de acordo com o Jornal de Angola.

Carla Van-Dúnem anunciou a linha de crédito, denominada “Sol empreendedorismo 2015”, depois de inaugurar uma agência no distrito do Cazenga, no bairro Tala-Hadi, e disse que a mesma foi criada com o objectivo de aproximar os serviços bancários da comunidade e reduzir a burocracia no acesso aos empréstimos, de acordo com o Jornal de Angola.

O subdirector de pequenas e médias empresas do Banco Sol, Viriato Capita, informou que a linha de crédito está reservada aos sectores de restauração, saúde, comércio por grosso e a retalho.

A directora de crédito do Banco Sol, Eliana Matondo, informou que, no total, a carteira de empréstimos da instituição está orçada em 800 milhões de dólares (100,8 mil milhões de kwanzas) tendo os desembolsos para o Angola Investe atingido 20 milhões de dólares (2520 milhões de kwanzas), com perspectivas de aumentar para 42 milhões de dólares (5292 milhões de kwanzas).

O Banco Sol tem uma carteira de crédito aprovada de 750 milhões de dólares (94,5 mil milhões de kwanzas) para o período de 2012 a 2015, tendo cerca de cem milhões de dólares (126 mil milhões de kwanzas) sido concedidos desde o início do ano, afirmou na ocasião o presidente da instituição, Coutinho Nobre Miguel. (Macauhub/AO)

 

Sonangol abre balcão para atender empresas candidatas a blocos petrolíferos em Angola

Enviar por E-mail Versão para impressão

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) abriu um balcão de atendimento às empresas pré-qualificadas para o leilão de dez poços petrolíferos em terra nas bacias do Baixo Congo e do rio Cuanza, anunciou a estatal em comunicado.

O balcão é integrado por técnicos de diferentes áreas da Sonangol e tem por objectivo atender às solicitações das empresas pré-qualificadas no decorrer do processo designado Licitações 2014/2015, de acordo com o comunicado divulgado sexta-feira em Luanda.

O balcão, que funciona no edifício da Sonangol, em Luanda, está aberto entre os dias 24 de Agosto e 18 de Setembro, data-limite fixada em Julho para apresentação das propostas de licitação pelas 48 empresas pré-qualificadas em Abril.

A lista das 85 empresas pré-qualificadas para a licitação de dez novos blocos petrolíferos inclui empresas detidas ou participadas por capitais da Sonangol, a Sinopec (consórcio entre as companhias estatais angolana e chinesa), a Somoil e o Grupo Gema.

A Sonangol, Sinopec e a Somoil procuram obter licenças de operadores – empresas às quais cabe a liderança dos projectos, enquanto o Grupo Gema qualifica-se como não operador.

As empresas portuguesas Galp Energia e Partex, a italiana ENI, a norte-americana Chevron e a colombiana Ecopetrol também concorrem para licenças de operador, enquanto a brasileira Petrobras procura uma de não-operador depois da pré-qualificação.

A licitação é feita em leilão, no qual são oferecidos blocos para a exploração de petróleo nas bacias terrestres dos rios Cuanza (sete) e Congo (três), devendo os resultados ser anunciados dia 21 de Setembro. (Macauhub/AO/BR/CN/PT)

 

Governo analisa criação da Agência para a Promoção do Investimento de Angola

Enviar por E-mail Versão para impressão

20150821A Agência Nacional para o Investimento Privado (ANIP) vai ser extinta e substituída pela Agência para a Promoção do Investimento de Angola (API-Angola), de acordo com um projecto de decreto presidencial, quinta-feira apreciado em reunião de governo.

De acordo com o comunicado divulgado no final da reunião das comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros de Angola, a API-Angola tem por objectivo promover, captar e acompanhar os projectos de investimento privado no interior e no exterior do país.

Os membros daquelas duas comissões apreciaram igualmente o projecto de Regulamento da Lei do Investimento Privado, instrumento jurídico que estabelece as regras de tramitação processual das propostas de investimento privado, de modo a tornar mais célere e expedita a tomada de decisão, a fiscalização e o acompanhamento dos projectos aprovados.

A Comissão Económica do Conselho de Ministros tem por missão tratar da agenda macroeconómica do governo e assegurar a condução da gestão macroeconómica em harmonia com os objectivos e as prioridades económicas do programa de governação do Presidente da República.

Já a Comissão para a Economia Real do Conselho de Ministros é o órgão técnico de apoio ao titular do poder executivo na formulação, execução e condução da política de fomento do sector produtivo. (Macauhub/AO)

 

Angola procura empresa para gerir doca flutuante

Enviar por E-mail Versão para impressão

A Empresa Portuária de Pescas (Pescangola) anda à procura de uma empresa de assistência a embarcações para gerir uma doca flutuante de reparação de navios, anunciou esta semana em Luanda o coordenador de projectos da empresa.

Adquirida há cerca de dois anos pelo Ministério das Pescas, a plataforma destina-se a prestar serviços de recuperação de embarcações danificadas, reparação de cascos de navios e pintura naval, “o que representa uma grande ajuda à recuperação dos navios que exploram os recursos existentes na costa angolana”, disse Madaleno de Andrade.

A plataforma tem uma estrutura de aço com 60 metros de comprimento e 26 de largura que permite operações de reparação em seco de embarcações com 15 a 50 metros de comprimento sem necessidade de ir a terra.

Madaleno de Andrade revelou estar a decorrer uma acção de formação no Centro de Formação Pesqueira (Cefopesca) para os técnicos angolanos que vão operar na doca flutuante.

“O contracto de aquisição da doca inclui a formação e apenas resta a contratação da empresa que deve explorar a plataforma”, declarou Madaleno de Andrade.

A Empresa Portuária de Pescas é uma empresa pública que tem, entre outras funções, o abastecimento de combustível subvencionado aos armadores, cooperativas e associações de pesca semi-industrial e industrial devidamente reconhecidos pelo Ministério das Pescas. (Macauhub/AO)

 


Pág. 98 de 722
mm33


beyond_words
beyond_words